O guia (não) definitivo de hashtags!

Prepare-se para ver dados impactantes que podem te assustar ou te ajudar a pensar melhor nas estratégias para o seu negócio nas redes sociais.

Você sabia que segundo dados da Huffington Post, os posts que tem hashtags têm uma média de 12% a mais de engajamento do que posts sem hashtags?

Sabia que a média de fotos postadas por dia no Instagram é de 100 milhões? E que são cerca de 300 milhões de stories/dia?

Sabendo dessas informações, acredito que fica claro que as hashtags chegaram para ficar. Ou seja, é aquela ‘regra’ que tem que usar nos conteúdos digitais. Afinal, se você quer que sua marca apareça e seja vista nessa enxurrada de conteúdo diário na plataforma, você precisa usar esse recurso para facilitar a busca pelo seu assunto.

Deixo aqui uma curiosidade, caso você ainda não saiba, as hashtags são agregadoras de conteúdos.  Servem como um índice de tudo o que foi publicado sobre aquele assunto e que foi marcada com determinada hashtag. É uma forma de categorizar uma postagem. As hashtags nasceram no Twitter, e migraram para outras redes sociais, como Facebook e Instagram, onde são mais usadas atualmente. Mas vale lembrar que funcionam nas duas plataformas.

Existem muitos grupos de hashtags. Mas, eu gosto e costumo organizar em quatro grandes grupos:

– As # gigantes: àquelas que têm mais de 2 milhões de menções;

– As # super populares: àquelas que têm mais de um milhão de menções;

– As # populares: que têm de 500 mil a 1 um milhão de menções;

– # nichadas: as que estão abaixo de 500 mil menções.

Vale lembrar que todos os grupos têm seus lados positivos e negativos. Por exemplo: se você tem uma hashtag popular, seu conteúdo é só mais um no meio de muitos. Se você usa uma híper nichada, você pode ter destaque, mas vai atingir menos pessoas, já que a procura por esse termo é menor. Um bom caminho é tentar mesclar e equilibrar as hashtags. Minha sugestão é usar algumas populares e outras mais específicas, sempre dentro do seu segmento e que converse com seu produto ou serviço.  

Há um limite para o uso de hashtags? Qual a quantidade ideal em um post?

O Instagram permite o uso de até 30 hashtags, seja no post / legenda, propriamente dito, ou no primeiro comentário, lembrando que é cumulativo. Ou seja, são 30 no total.

Importante Aproveito para falar que há um mito sobre a inserção de hashtags no primeiro comentário, muita gente acredita que fazer isso aumenta o engajamento. E, de fato, por um tempo isso acontecia. Hoje não é mais assim.

Não há um número exato, ou aquela quantidade mágica. Porém, boas práticas recomendam usar de 5 a 7. Claro que há pessoas usando 20 ou 30. Mas quando vejo isso, tenho a sensação de que a pessoa/ empresa / marca está atirando para todos os lados, sem saber o que está comunicando (isso é uma opinião pessoal). Acredito que faz mais sentido usar de 5 a 10 hashtags muito planejadas, e sabendo o motivo para cada uma delas, do que deixar muito ‘aberto’.

Compartilho aqui algumas dicas, que acredito serem úteis:

1 – Faça testes: Acho que o ideal é testar, e ver o que, quantas e quais hashtags funcionam para você, para sua marca, para a sua comunicação.

2 – Mantenha suas hashtags organizadas. Minha sugestão é uma para cada tipo de produto que você tem, categorizando por nicho (segmento) e que tenha relação com o conteúdo criado (assunto). Ou por local, caso você tenha espaço físico. Com o tempo você consegue mensurar e perceber a relação das hashtags com sua comunicação. E poderá ver se a hashtag é relevante ou não.

3 – Analise as hashtags próprias. Isso vale especialmente para os pequenos empreendedores. Ter hashtag própria é bacana, mas talvez não seja realmente eficiente para criar engajamento.

4 – Pesquise o que a concorrência está fazendo. Vale olhar também os concorrentes indiretos. E até o que não é exatamente um concorrente. Observe influenciadores do seu meio. Olhe o que tem sido feito, quais hashtags são usadas e tente agregar nos seus grupos de hashtags, se fizer sentido para sua comunicação.

5 – Use aplicativos que auxiliam na busca de hashtags relacionadas. O próprio Instagram permite isso. Fazendo isso, você pode ter ideia do alcance esperado com aquela hashtag.

6 – Siga sua própria hashtag. Aqui é uma dica para quem tem hashtag própria. Ao segui-la, você recebe notificações quando alguém usar. É um jeito de ter um alerta de engajamento. E vai te ajudar a ter um relacionamento com quem ‘fala’ da sua marca.

7- Seguir hashtags é um recurso bacana para saber o que e quando comentar algo nas postagens de outras pessoas, de outras marcas. Considero importante seguir as hashtags que seu público costuma postar. É muito útil comentar (com bom senso e educação), de vez em quando, no post de outras pessoas, assim seu nome ou sua marca são vistos e começam a ser lembrados.

8 – Cuidado com hashtag em inglês e outros idiomas. Elas podem conter conotação sexual em outra língua. O exemplo clássico é o Sextou. Em português é só “oba é sexta”, mas em inglês é sex to you. Ao usar você pode cair na “shadowban” (um bloqueio “não oficial mas que todo mundo sabe – ou deveria saber – que existe” do Instagram).

Então, não faça spam com a hashtag e cuidado com as banidas e ou com as que apresentam conotação sexual. Reforço por aqui que também não se pode usar hashtags de marcas muito grandes. O Instagram nem deixa você usar, porque entende que você não é o dono do perfil da marca e não permite que você use. Se forçar o uso, também pode parar na lista de shadowban.

A título de curiosidade, vou terminar o post hoje compartilhando abaixo as hashtags mais usadas no mundo e no Brasil.

Top 10 de hashtags mais usadas no mundo:

#love #instagood #style #dogstagram #me #fashion #cute #tbt #foodporn #photooftheday

Top 5 de hashtags mais usadas no Brasil

#tbt #love #brasil #amor #instagood

Add A Comment